15 de fev de 2010

O BOM, O MAU E O VILÃO


















E eis que com o último filme da trilogia do Homem Sem Nome e já com a aclamação americana, Sergio Leone constrói uma obra-prima do género. Neste Il Buono, Il Brutto, Il Cattivo (1966) Leone viu surgirem convites de Hollywood que levaram à seguinte trilogia já feita com um budget nada normal para os filmes do género. 

Sempre acompanhado pela excelente banda sonora de Ennio Morricone, Lee Van Cleef passa aqui a interpretar um odioso vilão (Il Cattivo - do italiano para mau mas que para português foi traduzido para vilão e que serve) em contraste com o filme anterior da trilogia., onde protagonizava uma personagem de meio espectro de bondade. Clint Eastwood (Il Buono - o bom) é chamado de blondie pela boca de Tuco (Il Bruto - traduzido injustamente para mau, quando deveria ser literalmente bruto). Os três homens percorrem o Oeste entre a Guerra Civil Americana em busca de um tesouro enterrado por um soldado, competindo, aliando-se e sucessivamente traindo-se.

É de notar que normalmente os filmes Spaghetti Western tomam como objecto a guerra entre o México e o Texas ou entre o México e os Estados Unidos e baseiam-se sempre em cenários de fronteira do Texas ou Novo México devido aos actores italianos e espanhóis utilizados.


Visto aqui e ali. 

0000000700

2 comentários:

Si disse...

Não entendo a ligação entre os actores serem italianos/espanhóis com os cenários fronteiriços (USA-México)... Explicas melhor? :)

rafa disse...

questões étnicas e parecenças físicas. os actores italianos/espanhóis tem compleição física/facial mais próxima dos mexicanos e americanos dos estados de fronteira (nevada, novo méxico) do que a maioria americana que tem origem nórdica, alemã, inglesa e irlandesa. daí que os filmes sigam uma linha narrativa que proporcione o uso dos actores e figurantes mediterrânicos, bem mais credíveis do que simples maquilhagem ;)