24 de mai de 2008

A MELHOR JUVENTUDE


Sugerido por amigos que o descreveram extasiados foi-me passado este filme por um desses amigos ainda não totalmente refeito da descrição que me deu: A Melhor Juventude - La Meglio Gioventù de Marco Tullio Giordana.

O filme é épico e essa sensação não chega só pelas seis horas de bom cinema que nos é servido, é extraordinário como se vê tudo de uma assentada, sem monotonia, em gosto crescente de partilha e convivência com a história cheia de percalços desta família italiana - acompanhamos a evolução recente de Itália, com as lutas estudantis de 68, as cheias de Florença, a luta contra a Mafia e o terrorismo de extrema esquerda das Brigadas Rossas. Debatemo-nos ainda ao longo do filme com todas as vitórias e derrotas constantes no ser humano, a irreverência da juventude, o amor, a traição, o suicídio, a decrepitude, a doença, a miséria..

Isto é cinema, belo e presente, merece ser visto e aviso, guardem seis horas porque não irão querer descolar de frente do monitor até ver a resolução de tudo!

Vista em sessão contínua de casa, após noite de borga - perfeito aperitivo para um qualquer domingo de dentro.

Um comentário:

Si disse...

Fiquei curiosa! Mas 6 horas?...
Tenho lá em casa DVD do filme "Fanny & Alexander", do Ingmar Bergman, e ainda nao o vi porque dura 5 horas! :S
bjnh