26 de mar de 2009

Where the Hell is Matt? (2008)

Este vídeo chegou-me por mail e, depois de ver o vídeo, resolvi "investigar" este Matt.
Descobri isto:
http://www.wherethehellismatt.com/about.shtml
Acabei por ver também os vídeos da palestra que deu, nos quais Matt explica a razão pela qual esta "dança", à volta do mundo, começou.

The T-Mobile Dance

Aqui está o vídeo da publicidade duma operadora de telemóveis. Foi filmado na Liverpool Street Station, em Londres. O público foi surpreendido pelos bailarinos que, de repente, começaram a dançar "do nada".
Quando vi a publicidade na televisão, adorei e só tive pena que fosse propaganda de telemóveis... Mas é interessante ver como a publicidade tem dados passos grandes e cada vez há mais anúncios originais e com bons resultados.

24 de mar de 2009

Ficção Científica no Cinema Londres -Lisboa

A I Mostra Sci Fi de Cinema Fantástico, iniciativa do canal Sci Fi, vai decorrer este fim-de-semana no Cinema Londres. Serão apresentadas sete obras do género de ficção científica, nunca antes projectadas no país, nos dias 28 e 29 de Março.

A antestreia decorrerá na sexta-feira (27 de Março), contando com o humorista Bruno Nogueira a protagonizar um pequeno monólogo, antes da projecção do filme «Let the Right One In», marcada para as 21:00 horas. Esta obra trará uma história de amor entre vampiros.

Bruno Nogueira, que esteve presente na apresentação do evento à imprensa, disse estar «muito contente» com o seu envolvimento na iniciativa. «Além de poder ver filmes ´à borla´, é uma óptima oportunidade para eu conhecer melhor o cinema fantástico», apontou o humorista.

«(A Mostra) pretende ser um ponto privilegiado que as pessoas possam visitar para conhecer o melhor do cinema fantástico», disse Carolina Godayol, directora geral da NBC Universal Global Networks para Portugal e Espanha, esta terça-feira em conferência de imprensa.
Diário Digital, 24 Março'09

23 de mar de 2009

"a nossa necessidade de consolo"






"a nossa necessidade de consolo"
um filme de André Santos
e Marco Leão


Documentário | 13' | 2008
A passar no IndieLisboa deste ano! O Marco foi quem filmou para mim na Malaposta, em 2007!

"O tempo passa por nós como uma tarde passageira. Corre como as nuvens no céu levadas pelo vento, à deriva.
Enquanto o tempo passa, vivemos e sentimos a sua passagem.
Uma breve reflexão sobre a passagem do tempo sobre nós, vista através de dois momentos da vida das nossas mães."


"No fundo, o tempo de nada serve, inútil instrumento de medida que só regista o que a vida já me trouxe." (Stig Dagerman)


www.indielisboa.com
www.myspace.com/andrefcsantos
www.myspace.com/marcoleao

21 de mar de 2009

50 FIRST DATES



Este é um típico filme de Adam Sandler e ao afirmar isto acrescento que este é outro objecto de entretenimento fácil, de consumo rápido e completamente ausente de qualquer objectivo ou mensagem que não seja a de produzir um objecto consumível por toda a família e específico para o mercado americano (pelos gags e referências).

Não digo que os estúdios americanos devam deixar de produzir este filmes mas este não me serve as medidas e na verdade os únicos filmes que aprecio por Sandler é o Embriagado de Amor do Paul Thomas Anderson (que lhe valeu uma nomeação para um globo de ouro) e a Terapia de Raiva onde contracena com um magistral Jack Nicholson.

Este filme resume-se rapidamente. A personagem de Sandler é um conquistador inveterado que se apaixona pela personagem interpretada por Drew Barrymore e é retribuído nessa afeição. O problema é que esta revive o mesmo dia desde que teve um acidente um ano antes - não guardando qualquer memória mais que as horas de um dia. O restante é tudo menos inesperado.

Visto no autocarro entre Bratislava e Praga

Enlace | http://www.imdb.com/title/tt0343660

FINGERED e colecção de vídeos do kunsthaus wien



De todas as peças que poderia destacar dentro da grande desilusão de exposição que se revelou a Porn Identity (desiludiu grandemente pelo preço excessivo para o exposto, pela ausência de fio condutor e de conceito expositivo, pela irregularidade nas obras apresentadas e pela gratuitidade em que a pornografia foi apresentada sem qualquer aparente objectivo que não a provocação imediata) apresento o Fingered. Este filme mostra uma violação quase explícita, provocada (mesmo) e intencionalmente direccionada para a exploração e violência gratuitas com péssimas interpretações e inexistente argumento. É inclassificável (nem snuff, nem porno, híbrido insípido) e se o destaco é porque foi o único vídeo que vi em tão desinteressante exposição.

Indo ao Kunsthaus Wien é imperdível sim a colecção de vídeo que aí apresentam, consultável via diversos ecrãs tactéis. É uma videografia extensíssima e que vale bem dedicar-lhe de 1 a 2 horas para lhe estudar os vídeos experimentais, as peças de videoart, os segmentos animados e todas as curtas.

Visto no Kunsthaus Wien, exposição Porn Identity

Enlace | http://www.mqw.at/index.php?page_id=328

FOOLS GOLD



Este filme começa com uma cena hilariante da destruição involuntária de um barco de pesquisa arqueológica pelos seus próprios ocupantes enquanto pesquisavam artefactos presumivelmente de um galeão espanhol no fundo do mar. Mas a partir daí o filme descamba para algo sensaborão e insípido confrontando Matthew McConaughey e Kate Hudson como casal desavindo, explorando essa incapacidade de convivência de meio de vida entre o par até à previsível conclusão.

Dispenso. Sugiro que a cena inicial se tornasse uma curta só por si, é um segmento que valeria bem essa dedicação.

Visto no autocarro entre Bratislava e Praga

Enlace | www.imdb.com/title/tt0770752

19 de mar de 2009

Into the Wild


Ficar em casa, em vez de trabalhar, tem as suas vantagens e as suas desvantagens.
Comecemos pelas vantagens: no meu caso leio muito e com isso aprendo imenso. No ano e meio que não tive horário de pessoa trabalhadora, cresci muito, principalmente porque tive tempo para tomar consciência do que acontece à nossa volta. Coisa que ainda não tinha conseguido fazer antes de "ser obrigada a parar" quando vim para a Alemanha e me encontrei no desemprego.
Desvantagens: tomar consciência do mundo não é peso fácil de carregar. Faz-nos desejar ter fechado os ouvidos e os olhos para que nada tivesse conseguido saltar as barreiras protectoras que por vezes conseguimos criar.
Há quem resolva apenas correr. Fugir?

Imaginem que já viram muita coisa que não gostaram e se apercebem que afinal... Não há como mudar o mundo. Não há outro caminho a seguir senão o de sempre. Imaginem que a vossa vontade é regressar às origens, que pensam ser a Natureza. Sem a presença de mais ninguém. Imaginem que afinal descobriram que esse lugar existe, e que é num canto qualquer no Alasca. E imaginem que concretizam o vosso sonho de lá chegar, depois de um ano de preparação física.
Sim, preparariam-se fisicamente, estudariam sobre o Alasca, escutariam com atenção os que já lá estiveram tentando obter o máximo de informação que pudessem para que conseguissem sobreviver. Anotariam tudo e fariam tudo como escreveram.
Christopher McCandless fez essa caminhada espiritual e achou que encontraria a paz no Alasca. E encontrou. Mas antes agonizou, durante os últimos dias de vida, em que os passou à fome, doente e só.
Escreveu um diário da sua jornada mas foi num livro que lia que apontou as respostas que tanto procurava, sendo a mais importante para mim, "a felicidade só é atingida se for partilhada".

Uma história verídica transformada em filme por onde podemos viajar nas diferentes paisagens dos EUA que Christopher percorreu até aos seus últimos dias.

Friends


Na continuação das séries anteriores apresentadas neste blogue, aqui fica a série que de uma maneira ou de outra, poderia representar uma fase da minha vida, e por isso é a minha série de eleição sobre "pessoas normais com poderes especiais".
Quase não precisa de apresentações: Rachel, Monica, Phoebe, Joey, Chandler e Ross. Seis amigos cuja vida os uniu, durante um período de tempo, e que passado alguns anos, os voltou a separar cada um seguindo um caminho. Minto! O final faz-nos puxar pela imaginação e faz-nos crer que tudo irá continuar no seu ritmo normal: o Joey continuará a comer a comida do frigorífico da Monica e do Chandler, a Monica continuará a presentear os amigos com fantásticas refeições mas desta vez em forma de piquenique no jardim da sua nova casa, o Ross e a Rachel novamente juntos continuarão a embebecer os amigos com a sua imagem de casal "os opostos atraem-se mesmo", e a Phoebe continuará a ser o pilar espiritual do grupo, fazendo questão de marcar um encontro semanal no Central Perk.
Dez séries que demoraram uns 10 anos a passar nos canais televisivos portugueses, vi eu em... 6 meses :) E agora descobri que existem cenas disponibilizadas no Youtube que nunca foram para o ar :D

Heroes


Outra série que vos apresento neste blogue é a Heroes. É também uma série de "entreter" mas que não é tipo comédia.
Classifico-a como Deliciosa, igualmente como fiz para a série Chuck pois, as personagens principais são também pessoas normais (como eu e tu :D) que descobrem um dia que tem poderes especiais. Todas as personagens tem uma ligação entre si, porque todos os poderes que possuem terão de ser usados para combater o Mal. Nenhuma das personagens quer / usa o seu poder para sobressair no mundo, pelo contrário tentam esconder pois é algo fora do normal. A não ser, Sylar, que usa o seu para adquirir o dos outros e assim, mais poderoso que antes, conquistar o mundo.
A lista das personagens não é curta bem como a dos respectivos poderes.
Para além da "história de pessoas comuns que descobrem ter habilidades especiais" despertar em mim uma certa curiosidade, a própria imagem da série é muito interessante. Segue o estilo das histórias aos quadradinhos e apresenta mesmo algumas imagens a desenho.
O enredo põe sem dúvida a nossa imaginação a trabalhar e o suspense consegue ser por vezes insuportável, de tal maneira que estamos a aguardar pelos episódios todos da última série, para assim devorá-la num só fim-de-semana :D

Chuck


Desafiaram-me e eu não podia dizer que não!
Escrevo-vos hoje de uma série de "entreter e fazer rir".
Chuck Bartowski é um estudante universitário normalíssimo, dotado acima da média, mas que sempre teve uma vida como todos nós. Um certo dia é acusado de roubar os exames de uma disciplina e cujas provas desse roubo são mesmo encontradas no seu quarto. Mesmo sendo inocente, é expulso da universidade, sem nunca ter percebido como se tinha gerado toda essa situação.
Um dia, já mais tarde, recebe um email com os segredos todos da CIA, criptografias em forma de conjunto de imagens/fotos. À medida que Chuck visualiza as imagens (milhares em alguns minutos), recepciona-as e armazena-as no seu cérebro. Neste dia, o futuro do vulgar funcionário da Buy More (uma loja de electrodomésticos) que já tinha sido um prometedor estudante de informática na universidade, muda por completo: quando visualiza alguém na rua que está na "sua nova base de dados", o seu cérebro "flasha" e "corre" toda a informação sobre esse indivíduo.
A CIA, consciente de que o seu "disco duro" (o anterior fora destruído) passou a ser um mero rapaz-cidadão, não tem outra solução senão colocar uma equipa de agentes da CIA a protegê-lo, e usá-lo cada vez que "flasha" em alguém, para tentar saber o que esse alguém anda a tramar. Claro que essa equipa é constituída por um brutamontes de corpo e coração e uma belíssima "Chuck-girl".
O resto já sabem, como se desenrola toda a série televisiva: perseguições, esconderijos, vida dupla, romances fingidos (ou não), explosões, etc...
O delicioso desta série, é que Chuck é um tipo normal. Como eu e tu :D E que foi forçado no dia-a-dia a aprender, por si só, a ser um agente da CIA.
Ah!E claro que Cuck finalmente descobre porque arranjaram maneira de o expulsar da universidade na altura em que estudava informática. Mas mais não conto ;)
Nem sei em que série vai, mas estamos sempre à espera de novos episódios!

Bruno Bozzetto


Conheci o trabalho de Bruno Bozzetto através de mails que recebi/o com pequenas animações dele. Acho muito interessante o trabalho que faz, criticando sempre com humor. Ia postar aqui um vídeo dele, mas não o vou fazer devido a isto que encontrei no site dele:
All films by Bruno Bozzetto are protected by copyright. It is strictly forbidden to reproduce, post, spread around, edit/modify and upload such films in any way and on any platform, blog , personal web-site or channel such as YouTube/Google Video and such without the Author’s written authorization. It is also strictly forbidden to associate such films to any kind of exploitation connected with profitable advertising. The publishing of any film in all his length or through different blocks by non-authorized users is an offence to the Authour and it will constitute a copyrightsviolation, therefore it will be reported as an abuse and will be punished according to the Law.
Deixo então este link onde poderão encontrar vários vídeos.

18 de mar de 2009

SOUTHPARK | IMAGINATION LAND



Desenvolvido em três tomos ridicularizando as trilogias clássicas do cinema (starwars e lord of the rings) e visível no site oficial, este episódio especial de Southpark subtitulado de Imagination Land é uma pérola dentro de todos os episódios de Southpark que já vi.

É deliciso, é hilariante, é incrível, é espectacular - é o máximo, o cume e o clímax da intensidade criativa e do sarcasmo combatente de Matt Stone e de Trey Parker, os criadores da série de animação para a televisão que é um sucesso e que é sempre realizado para um público adulto (os detractores não o entendem e pretendem que tenha sido idealizado de outra forma).

Vejam e percebam esse mundo de fantasia demolidor!

Visto nas Vasco Sessions ao Saldanha em companhia do MAL

Links :
www.southparkstudios.com
http://www.imdb.com/title/tt1308667

ZOMBIE STRIPPERS



Este Zombie Strippers é dos filmes mais ridículos que já vi em toda a minha existência e por isso mesmo é que se torna também um dos mais hilariantes de sempre! Senão vejam esta rápida sinopse deste filme de série B realizado e escrito por Jay Lee.

Após uma experiência científica que correu mal um soldado contaminado entra num night club e após alguma turbulência inicial ataca uma das strippers do bar. A partir desse momento essa stripper torna-se uma estrela já que a sua condição de morta e de zombie atrai cada vez mais cliente para ver o espectáculo levando a que as restantes strippers - uma após outra - se deixem contaminar para que tomem o lugar da primeira no palco. A única condição é que um ou outro cliente lhes sirva de alimento ao que o patrão, fazendo dinheiro como nunca tinha feito antes e deslumbrado, acede, guardando os corpos dos clientes tornados entretanto zombies numa jaula da cave do clube.

As interpretações não são nada credíveis (e interessa neste contexto?) e o filme e a sua história bizarras e trapalhonas (e eu importado, depois de me rir tanto incontrolavelmente)! A acrescentar a Jamie Jameson e à sua trupe de strippers zombies - todas vindas do mundo do filme porno - há ainda um grupo de soldados que de corpos, músculos e glândulas mamárias infladas (pois provêm do mesmo mundo antes referido) se dedica a caçar os zombies!

Hilariante! Aconselho, é de ver sem dúvida (com o cuidado de dizer que o sangue jorra em largos jactos e que existe nudez parcial e total em quase todo o filme)

Visto nas Vasco Sessions ao Saldanha em companhia do MAL

Enlace | http://www.imdb.com/title/tt0960890

Stop Global Warming

video

Mais um vídeo (este é da Quercus) que nos faz pensar que algo tem de ser feito pelo meio-ambiente!

17 de mar de 2009

CHE Parte 2 : GUERRILHA



Guerrilha é a natural continuação de O Argentino na obra Che por Steven Soderbergh e surge separado por razões óbvias de exibição e pelo sentido prático de fluência da história. É-nos oferecida uma obra épica em dimensão e documental em conteúdo e a sua separação em dois tomos é o intervalo nada forçado que marca dois distintos momentos perfeitamente destrinçáveis no percurso do guerrilheiro tornado cubano. Se no primeiro se relata a conquista de Cuba, neste aparece Ernesto Guevara a comandar e organizar a guerrilha boliviana – apenas referindo ao de leve a passagem pelo Congo e Venezuela, que não testemunhamos neste par, como assim também a fugaz presença do combatente como burocrata em Havana.

(...)

Leiam mais na Take n14 em : http://www.take.com.pt

3X3



Prova de que o filme português em português não é o que se pensa do filme português e que destruindo as ideias pré-concebidas de que nada de bom pode ser realizado por aqui, está aqui esta curta para o demonstrar. Excelente trabalho de câmara e óptima direcção de actores que servidos por uma história simples mas cativante (como deve e pode ser uma curta), nos oferece um trabalho hilariante e desembaraçado. 3x3 é um excelente trabalho que chega pela mão de um jovem e promissor realizador e eu ficarei pendurado esperando os seus próximos projectos.

Excelente! Consultem o site e vejam fotos - a curta está já por aí em apresentação pública e se tiverem a oportunidade, assistam.

Visionado no Auditório ZON, Lisboa

Link (com making of) | http://nunorocha.net

16 de mar de 2009

RASCUNHO




Existe online e chamo-lhe revista! Redescubro-a agora pela mão da Maggie que a relembrou oportunamente. Grazie! Este Rascunho é feito por uma equipa jovem e interessada nas temáticas artísticas pelo que a publicação evolui nessas áreas, especificamente pelo cinema, pela arte&design, pelo teatro e pela literatura (estou a dizer de cabeça e sei que me falta uma, mas como a preguiça não me deixa ir reabrir o site...).

Vejam e partilhem, façam-na crescer! Venga!

Rascunho | www.rascunho.net

14 de mar de 2009

MURPHY, ECDJ e NU






Apresento agora 3 revistas que partilham dois pontos que me interessam sobremaneira: ambas versam sobre arquitectura e são produzidas em Coimbra.

A Murphy (publicação anual ou bianual de história e teoria da arquitectura e do urbanismo realizada pelo Departamento de Arquitectura da FCTUC e que prima pela excelência nos artigos e investigações), a ECDJ - Em Cima do Joelho (Publicação de arquitectura realizada pelo Departamento de Arquitectura e pelo Centro de Estudos de Arquitectura da FCTUC e que se debruça por temáticas mais específicas da Arquitectura e Urbanismo, centrando-se em problemas actuais e mais práticos do pensar e realizar urbano pelo que expõe - variavelmente - um case study) e a NU (produzida pelos estudantes do Departamento de Arquitectura da FCTUC e que colige trabalhos e teorizações dos alunos e recebe ainda alguns convidados).


Os 3 títulos são de excelência e, se bem que não totalmente estanques a leigos - o primeiro é-o, necessariamente - de leitura imprescindível a um arquitecto/urbanista.

Murphy | www.uc.pt/murphy
NU | www.revistanu.uc.pt , revistanu.blogs.sapo.pt

PURE MAGAZINE



Pure é uma revista pura - ou seja, de design depurado e atento grafismo que nos conduz e a partir de LX uma interessante produção sobre moda com fotografia excepcional e artigos de fundo com relevância. Fico apaixonado pela quantidade de títulos com excelente qualidade que existem por aí - parte fundamentalmente de um empenho de uma equipa para que seja montada uma publicação como estas. Vejam todas as que puderem, sem falta.

Pure Magazine | http://www.puremagazine.pt

n*STYLE MAGAZINE



A n*Style Magazine é uma revista bimestral muito interessante - belíssimas produções de moda que me recordam a DIF e a PARQ, feita a norte e que versa sobre arquitectura, moda, lifestyle, música e tendências urbanas, servidas por crónicas, apontamentos e actualidades. É uma excelente referência para ver, para ler e para, sobretudo, desejar.

n*STYLE MAGAZINE | http://www.nstyle.com.pt

SITA SINGS THE BLUES



Sita sings the blues é apresentado como a maior história sobre uma separação jamais contada e partiu precisamente dessa premissa por parte da autora - Nina Paley, uma reconhecidíssima desenhadora americana, que após ter levado tampa do companheiro por mail enquanto este estava em trabalho na Índia e fruto da sua dificuldade em lidar com o sucedido e muito menos comunicado assim, daquela maneira crua - decide embarcar neste projecto durante cinco anos.

Paley fez tudo neste filme cedendo apenas na parte musical em que colaborou, escrevendo, investigando, produzindo, realizando e editando esta fantástica peça de animação que ganhou um prémio na Berlinale.

História pessoal animada, é fascinante como se enquandram os diferentes planos da história consoante seja o plano contemporâneo do afastamento e separação de Nina do marido, a narração e explicação do Ramayana (epopeia clássica indiana que retrata a história de Sita e do seu esposo, o príncipe divino Rama e em que Paley vê semelhanças com o seu próprio trajecto), passagens cantadas do Ramayana e trechos do Ramayana. Estes diferentes planos dos filmes sucedem-se em cadência regular e são trabalhados por diferentes técnicas de animação - não causando no entanto irregularidade na história mas marcando os diferentes momentos e contribuindo para a sua compreensão.


É notável o trabalho de investigação de Paley e a ligação do seu desastre amoroso com o mito hindu demonstra além de um saborosa ironia - pois o seu mais que tudo abandonou-a por um trabalho na Índia, também uma trabalhada e calibrada recuperação.

O resultado é muito atraente e se por vezes o ritmo se perde nas sequências cantadas e se a animação não surpreende nem inova, o espectador é compensado pela veia humorística da autora e da sua extraordinária capacidade de rir de si e de se renovar. Recomendo vivamente.


Curiosidades :

1) O filme foi apresentado pela própria em Viena uma semana depois de eu lá ter estado, no Festival Tricky Women - no qual foram distribuídos gratuitamente DVD.
2)
Este filme foi elogiado pela Andrea sem sabermos que umas semanas depois ele seria mostrado em Lisboa durante a Competição de Longas na Monstra e que eu o veria.
3)
No site promocional do filme está disponível o filme para download.
4)
A realizadora não vendeu nenhuma cópia do filme - o lucro é garantido por outras vias.
5)
O filme na Monstra foi apresentado por Nik Phelps, colaborador na BSO.

Senti o quase dever de ir pesquisar sobre Nina Paley e o seu trabalho, sobre o Ramayana e sobre Sita, sobre Lanka e sobretudo sobre a apaixonante e mítica Rama's Bridge.

Visto durante o Festival Monstra em LX - São Jorge em companhia do MAL e Ed. Condorcet, realizador coimbrão.

Links |

www.sitasingstheblues.com

www.ninapaley.com

www.monstrafestival.com

13 de mar de 2009

VOLTE - FACE



Outra excelente revista portuguesa, agora dedicada sobretudo ao design/poesia e conjugando-lhe artes performativas, happenings, intervenções e música. As performances da Volte-Face / Conflito Estético são lendárias, pesquisem no YouTube e no site da revista para terem um sabor da coisa. Tenho já os 3 números encomendados, quem os quiser manusear que me visite - e sim, isto é um convite!

Volte-Face | http://www.volte-face.conflitoestetico.com

OBSCENA



É obsceno como determinados títulos com qualidade permanecem no limbo da internet esperando a passagem para papel, formato que qualquer publicação merece (a Take é outra que tal). Obscena, revista de artes performativas portuguesa e membro da TEAM Network (Transdisciplinary European Art Magazines) é um excelente magazine onde pontua conteúdo informativo e reflexivo sobre as artes de palco, performativas, design e filosofia. É excelente o título - comprem ou descarreguem do site.

Revista Obscena | http://www.revistaobscena.com

12 de mar de 2009

PLAYTIME



A personagem chave nos filmes de Jacques Tati - Monsieur Hulot, marcou gerações e continua ainda bem presente com a imagem do mimo desastrado que passava pelas mais diversas caricatas situações e que encontrava os mais estranhos personagens originando sempre situações hilariantes em sucessão de gags. Hulot foi o homem elástico muito antes de Carey ter aparecido e todos os seus filmes são de garantida gargalhada – tanto de inteligente convicção como de riso fácil em amálgama de humor.

(...)

Leiam mais na Take n14, em http://www.take.com.pt

PERSEPOLIS



Persepolis é uma belíssima animação que percorre o crescimento de uma criança iraniana até à sua consumação como mulher, começando antes da revolução iraniana, acompanhando toda essa conturbada rebelião, o agigantar do fervor religioso no Irão, a sua atribulada ida para a Áustria e o seu afirmar final já em França.

O trabalho de Marjane Satrapi é autobiográfico e foi primeiramente publicado (e multi premiado) como uma banda desenhada em quatro tomos que foram posteriormente reunidos em volume único – largamente elogiados pela crítica especializada e pelo público.

(...)

Leiam mais na Take n14, em http://www.take.com.pt

UMA HISTÓRIA SIMPLES



Uma história simples saída filmada pela mão de um cineasta considerado complicado não poderia deixar de ser uma provocação a quem o marcou como tal e que não compreende que o cinema pode ser expressionista, surreal e sujeito a inúmeras interpretações.

E se uma história simples o é qualificável porque se resume em poucas linhas, este filme, este The Straight Story do Lynch é-o. Parte de uma viagem verídica em que um idoso homem (Richard Farnsworth como Alvin Straight) segue à procura do irmão doente (e com quem tem uma relação conturbada e esporádica) montado num cortador de relva, percorrendo indómito e estóico mais de 400km entre estados americanos.

Leiam mais na Take n14, em : http://www.take.com.pt

PARIS, TEXAS



O filme mergulha na quase lunar e a vezes semi-desértica paisagem texana com uma belíssima abertura em olhar de pássaro e apresenta um homem caminhando sobre o vazio (Harry Dean Stanton como Travis). A monotonia e a ausência do próprio que até é uma constante na obra de Win Wenders (Lisbon Story) aproxima este filme à obra pictórica de Edward Hopper – na regularidade da paisagem americana que monótona e à vez revela um ocasional personagem, um detalhe fortuito, um objecto casual ou um cartaz acidental, trabalhando a depuração e o ascetismo de beira de estrada americanos como tema central da história.

(...)

Leiam mais na Take n13, em : http://www.take.com.pt

ZOOT



Emprestado o nome dos Monty Python and the Holy Grail e de uma qualidade gráfica e de conteúdos extraordinária! A ZOOT é feita em Lisboa - com escritórios no Think Tank da LX Factory e é trimestral. Moda, design, entrevistas e afins servidos em inglês e que se pode encontrar em PT, Tóquio, Ny, Paris e London. Fantástica!

http://www.zootmag.com/

MORGEN



Visualmente forte, experimental, apaixonado e académico - virtudes e adjectivações para um colectivo/produtora fílmica austríaca que sugiro : Sancho Pansa Film | http://www.sanchopansafilm.com

Vejam Morgen - é especial (com Andrea Richter : )
http://www.sanchopansafilm.com/htmls/morgen.html


Morgen é uma curta curtinha que apresenta e deixa muitas dúvidas a umas quantas mais respostas - a beleza da curta é essa, o jogar ostensivo com a nossa interpretação porvir. É uma daquelas peças em que nos apetece acrescentar-lhe continuação e em que sobretudo, lhe colamos um início e um sentido. Apetecível. Apenas uma nota para dizer que o gato que contracena com a Andrea é Shiva.

Entre les murs - The class


Ainda estou a "digerir" o que vi neste filme... Por mais que tenha ouvido falar dos actuais problemas nas salas de aulas, só mesmo vendo para acreditar que há jovens que conseguem ser tão mal-educados e ter tanta falta de respeito por um professor.
As minhas turmas da escola nem sempre foram o exemplo de bom comportamento, mas nunca vi algo como o que vi neste The Class.
É incrível como um professor tenta fazer tanto pelos alunos e eles "respondem" de forma oposta ao que se espera.
François Bégaudeau, professor na vida real e autor do livro e do argumento, interpreta o papel principal do professor François, que dá aulas numa escola de Paris e que tem a seu cargo uma turma diversificada racialmente, o que traz mais alguns conflitos para a difícil tarefa de um professor.

Depois do filme, em conversa com o B., verifiquei que há uma certa injustiça dentro da sala de aulas: os provocadores "óbvios" são castigados, mas os que provocam de forma "subtil" conseguem escapar (talvez devido aos bons resultados escolares que obtêm), embora esta segunda forma de provocar possa prejudicar bem mais o ambiente numa classe de aulas.
Fiquei com o coração apertado ao imaginar a quantidade de professores que tem de passar por "isto" todos os dias... Aqui vai um abraço especial para todos os professores que conheço.

HISTORY OF THE INTERNET



Queria partilhar esta grande pequena história que explica resumidamente utilizando um excelente formato gráfico em Flash tudo isto em que escrevemos / lemos / comunicamos / partilhamos neste momento :
History of the Internet | http://www.youtube.com/watch?v=9hIQjrMHTv4

Na volta passem por este, Picol | http://blog.picol.org

11 de mar de 2009

Meu nome não é Johnny



Aqui está mais um filme brasileiro que me conquistou:
Meu nome não é Johnny é baseado na história real de João Estrella, um jovem carioca, oriundo de uma família da classe média, que se tornou no maior vendedor de drogas do Rio de Janeiro.
Embora seja contra os negócios dos drug-dealers, passei o filme todo a torcer para que João conseguisse alcançar os seus objectivos e que escapasse ileso das confusões em que se meteu (isto sem saber que se tratava de uma história real, do qual me apercebi só no fim do filme). João é uma pessoa interessante, bem humorada e com boa energia, e devido a isso terá conseguido escapar a um final menos feliz. Devido a isso e à juíza que acompanhou o caso dele nos tribunais, que conseguiu ver nele algo mais do que um criminoso.
O filme conta com Selton Mello (João Estrella), Cleo Pires (filha da actriz Glória Pires, faz de Sofia, namorada de João) e Cássia Kiss (juíza) nos papéis principais.

Lembro-me de gostar do Selton Mello a interpretar personagens de telenovelas, mas tornei-me sua fã depois de o ter visto em O Auto da Compadecida e em Lisbela e o Prisioneiro, em que representa personagens bem engraçadas e caricatas. O próximo filme, com ele, que penso assistir é Os Desafinados, que também promete!