15 de mai de 2008

Breve História de Quase Tudo


“Se há uma lição a tirar deste livro, é que temos uma sorte enorme em estar aqui – e quando digo “temos”, estou a referir-me a todo o ser vivo. Ao que parece, conseguir ter qualquer tipo de vida neste planeta é uma grande proeza. Claro que, como seres humanos, temos sorte a dobrar: não só gozamos o privilégio de existir como ainda temos a extraordinária capacidade de apreciar a vida e até, de muitas maneiras diferentes, de a melhorar. É um talento de que só muito recentemente começámos a ter consciência.
Chegámos a esta posição eminente num período espantosamente curto. Os seres humanos modernos em termos de comportamento – ou seja, pessoas capazes de falar, de criar arte e organizar actividades complexas – só existem há um período correspondente a 0,0001 por cento da história da Terra. Mas sobreviver, mesmo nesse curto período, tem exigido uma cadeia quase infinita de momentos de sorte.
Estamos, na verdade, no início de tudo. O difícil, agora, é termos o cuidado de nunca chegar ao fim. E isso, quase de certeza, vai exigir muito mais do que simples sorte.”

Bill Bryson in Breve História de Quase Tudo


Para mim, foi uma delícia ler este livro!
O autor percorre cronologicamente acontecimentos científicos da história do nosso planeta, mas não só! Conta-nos também sobre as pessoas que neles interviram, como funcionava a comunidade intelectual científica de cada época, e muito de vez em quando “quem era casado com quem” e “quem gostava de quem”. E explica como no mundo da ciência tudo pode ser descoberto por uma questão de acaso, sorte, enganos e/ou persistência, mas principalmente de muitos anos de trabalho. Teorias que deram corpo a outras teorias, décadas mais tarde... Mas fá-lo de uma maneira tão clara e divertida que nos leva a carregar o livro para todo e qualquer lado, na esperança de se ter 5 minutitos de pausa para se poder avançar mais umas páginas.
Este livro é o resultado de uma extraordinária pesquisa que durou anos, de volta de duas perguntas: “E como é que se sabe isto? Como é que descobriram?
Simplesmente, delicioso.

2 comentários:

Si disse...

Quando vi a imagem da capa do livro pensei logo que seria um livro "ecológico" :) A capa está mesmo gira e livro parece bem interessante!
bjnhs

Ana disse...

Si:
Também achei gira a capa. E o interessante é que no fim de ler o livro, percebes que traduz, visualmente, o texto do autor: o planeta terra é um novelo de reacções químicas e físicas que o mundo da ciência ajuda a desenrolar, a descobrir. (Ou pelo menos devia...!)