31 de jan de 2008

ANIMAL FARM : O TRIUNFO DOS PORCOS



de George Orwell (pseudónimo de Eric Blair)

Tal como no magnífico 1984 (donde se extraiu a persistente ideia do Big Brother, 'big brother is watching you') e na senda de outros títulos (lembro-me do excelente Brave New World - Admirável Mundo Novo - de Aldous Huxley), serve esta alegoria distópica de advertência sobre os perigos sociais e humanos do estabelecimento de regimes totalitários, achando paralelismo na evolução do estado marxista socialista russo (com Lenine/ Estaline).

Orwell advogava pela liberdade individual e até lutou e foi ferido durante a Guerra Civil Espanhola, ao lado dos Republicanos. Ler também dele, Homage to Catalonia.

Old Major, um velho porco em fim de vida, resume os princípios do que ele chama Animalism, clamando aos animais para se revoltarem. Antes de morrer, semeia o desejo de que os animais vivam livres, longe do jugo humano.
Em Manor Farm os animais cansam-se de viver como escravos e revoltam-se finalmente contra Mr Jones, o dono da quinta. Expulsam os humanos, mudam o nome para Animal Farm e estabelecem um código de 7 mandamentos inscritos no celeiro, criando uma comunidade animal baseada na inteligência dos animais mais dotados: Napoleon e Snow Ball.

1.Whatever goes upon two legs is an enemy.
2.Whatever goes upon four legs, or has wings, is a friend.
3. No animal shall wear clothes.
4. No animal shall sleep in a bed.
5. No animal shall drink alcohol.
6. No animal shall kill any other animal.
7. All animals are equal.

Estes são os princípios base do Animalismo, resumidos a um só mandamento para os animais menos inteligentes:

Four legs good, two legs bad.

Napoleon persegue o poder e expulsa Snow Ball, tomando as ideias deste como suas, escravizando os outros animais em detrimento dos porcos, alterando em seu favor os mandamentos e torturando e assassinando quem se opusesse ao seu regime. Os mandamentos alterados são os seguintes:

4. No animal shall sleep in a bed. with sheets
5. No animal shall drink alcohol. to excess
6. No animal shall kill any other animal. without cause
7. All animals are equal. but some animals are more equal than others

Este último mandamento alterado é o que sobra, última réstea da revolução animal; e os porcos cada vez mais se vão assemelhando aos humanos de que se libertaram até à metamorfose final, o ocaso do Animalismo.

Esta sátira aos desvios do totalitarismo é de fácil leitura e muito apetecível, recomendo absolutamente a sua leitura.

[notas]

A tradução do título é péssima e insinua logo o desfecho da história. Sugeriria a manutenção do título original ou uma corruptela como Quinta Animal.

[fontes]

Um comentário:

rafa disse...

eu li o livro em inglês, por isso tanto bifada:) mea culpa..