8 de set de 2008

Caramel

O ambiente em que se desenvolve a história é basicamente feminino. Temos várias histórias que sendo diferentes entre si, com a sua respectiva protagonista, têm algo em comum: a cumplicidade e o apoio que as personagens apresentam entre si.

As poucas personagens que o filme tem são portanto principais: a dona do salão de beleza que tem uma relação amorosa com um homem casado e que espera pelo dia em que finalmente ele se separe da mulher (que nunca irá acontecer); uma lésbica que se encanta por uma cliente, casada; uma noiva que já não é virgem e que tenta resolver o seu problema através de cirurgia; uma vizinha, costureira, com os seus 60 anos que tem a seu cargo a sua irmã mais velha que empata todas as suas relações amorosas; uma cliente, actriz, também com os seus 50 anos que se recusa a envelhecer;

"Caramel" (o caramelo utilizado no método de depilação deste salão de beleza) representa assim o elo que as une, num momento onde partilham as suas alegrias e as suas angústias num ambiente de intimidade e de cumplicidade.

É um filme que retrata um Líbano diferente do que estamos habituados a ver.
Qualquer assunto relacionado com a sexualidade das personagens é tratado com muita delicadeza, mas que não deixa de conseguir transmitir ao público sentimentos como a paixão, amor e cumplicidade.
Os sonhos, as frustrações, as desilusões e esperanças que estas personagens (libanesas) vão revelando ao longo do filme, podiam ser os de qualquer mulher em qualquer lugar do mundo. Por muito distante que esse ponto seja do nosso país, mesmo com tradições e culturas diferentes, todas nós queremos o mesmo: ser feliz.

Nota: O filme foi dirigido pela própria actriz Nadine Labaki (que interpreta o papel de dona do salão), e foi apresentado no Festival de Cannes de 2007.

Um comentário:

Si disse...

Mais um que me escapou... :(
Mas hei-de ve-lo!
bjnhs