7 de ago de 2008

Mamma Mia!


Mamma Mia é uma comédia-musical que conta a história de Sophie (Amanda Seyfried), que vai casar com Sky (Dominic Cooper) no hotel da mãe, Donna (Meryl Streep), numa ilha grega. O único senão é que Sophie não conhece o pai. Mas, ao encontrar o diário da mãe, descobre que tem 3 possíveis pais! E, secretamente, resolve convidá-los para o casamento! Estes são os ingredientes necessários para muita risota ao som dos Abba!
É de realçar os dotes vocais dos vários actores! Assim como as representações dos 3 possíveis pais - Sam, Harry e Bill (Pierce Brosnan, Colin Firth e Stellan Skarsgård) - e das duas amigas de Donna - Rosie e Tanya (Julie Walters e Christine Baranski).

Este filme
fez-me rir muito mesmo! E fez-me "ouvir" as músicas dos Abba com outros "ouvidos " mais divertidos!
A única coisa desagradável, para mim, foi o público presente na sala. Uma coisa é rir quando algo tem piada, outra coisa é rir de cada vez que certos actores começavam a cantar! Achei uma falta de respeito enorme. Chegou a um ponto incomodativo mesmo... Mas paciência - espero que para a próxima não aconteça o mesmo - irei vê-lo uma segunda vez porque o meu B. ainda não o viu e eu não me importo de repetir esta sessão divertida. :)

5 comentários:

repenikadita disse...

olé! vi a peça em toronto anos atrás e adorei!!!quem diria que os ABBA pudessem ser tão cativantes?? estou em pulgas para ir ver a versão cinematográfica!

Chandelier disse...

E a Maryl Streep? Não é fenomenal? Adoro o "The winner takes it all"

Si disse...

Ontem voltei a ver este filme e voltei a rir-me muito! O meu B. também achou muita piada.
E o público foi um pouco melhor - nao se riram tanto quando certos actores cantaram - e engracado que nalgumas partes chegaram mesmo a bater palmas!! :D

Ricardo Lopes Moura disse...

ainda me surpreendo com gente que tenha gostado deste filme, e por curiosidade são sempre mulheres :D

eu achei o filme abominável. primeiro, só a meryl streep tem boa voz. os clips são horrendos e o karaoke probríssimo. algumas canções estão ali à pressão e servem muito mal a história.

só gostei da mensagem final dos dois jovens de viverem a vida e amarem-se sem casarem. já basta de filmes a pregarem o casamento.

uma coisa que ninguém repara é o mau exemplo da personagem da meryl, que não usou preservativo no verão das maiores loucuras. então copula com três homens em tão rápida sucessão que qualquer deles pode ser pai da chavala? :P

Si disse...

Ricardo, em relacao `a(s) cópula(s) desprotegida(s) da personagem da Meryl Streep, temos que ver que ela era (e ainda é) uma hippie e que na altura corriam os anos loucos do Peace and Love!
Pior é hoje em dia que, com toda a informacao disponível que existe, ainda há pessoas que nao se protegem...
bjnhs