13 de jun de 2008

TAKE MAGAZINE

Faz agora um ano que a Hachette deixou de editar a revista Premiere, a única edição ligada ao cinema que tínhamos, com a alegação de que os custos de produção eram elevados e que não suplantavam os lucros. E até hoje, em Portugal, não mais tivemos qualquer edição em papel, ligada ao mundo da 7ª arte. Foi-me falado então que os jornalistas da Premiere se encontrariam a editar on-line desde Março deste ano, uma revista de cinema com a designação “TAKE”. E que o faziam em regime de voluntariado uma vez que nenhuma editora ainda teria assumido a sua publicação em papel.


A revista de Maio (ainda não consta a de Junho) apresenta um layout mais apelativo que a Premiere, com crítica, reportagem, destaques para entrevistas a realizadores e actores portugueses (Teresa Prata de “Terra Sonâmbula”, Nuno Lopes de “Goodnight Irene”), publicidade a festivais de cinema como o Festróia e passatempos. Eu sinto a falta do toque, do folhear da revista. E tu, não sentes? Agora que o público português está mais receptivo ao cinema, que pululam festivais e mostras de cinema cujos calendários se encavalitam nas nossas agendas, em que nos queixamos da falta de projecção dos jovens realizadores nacionais, porque razão não temos uma revista de cinema?

Vê mais em http://www.take.com.pt
Edição em pdf http://www.take.com.pt/pdf/Take3Mai08.pdf


* Comentário-artigo-explosão por Alice B. copypasteado do site do MAL : http://movimentoacordalisboa.com (serve como apresentação mas ainda mais como desejo de retorno de uma publicação portuguesa especializada em cinema).

2 comentários:

Ricardo Lopes Moura disse...

xizvsuma única correcção: a revista take começou da cabeça do web-designer josé soares, precisamente quando conversava com ele sobre o fim da premiere, da qual eu era crítico e redactor, no próprio dia em que a hachette francesa nos fechava a porta, sem apelo nem agravo.

contudo, todo o trabalho da take foi iniciado pelo josé soares, que se rodeou de colegas e amigos para apresentar o primeiro número.

nenhum crítico da premiere teve nada a ver, tanto mais que o primeiro nr da revista tinha textos muito fracos, já que quem os escreveu era apenas, na melhor das hipóteses, amador. contudo, com a "equipa de colaboradores" da take a aparecer nos visionamentos de imprensa e a serem divulgados por canais televisivos, como por exemplo da sic readical, alguns colaboradores do meio cinematográficos se lhe juntaram.

mas tenho pena que a revista não seja em papel.

rafa disse...

boas ricardo!

o texto foi copypasteado do site do mal (movimentoacordalisboa.com) onde já surge corrigido! o meu erro - já que as palavras nem são minhas, fui o veículo do erro :) - é não ter actualizado aqui o artigo. Irei já já redimir-me!

e o josé soares faz um trabalho incrível que adorava folhear e não ratejar nesta tela de pc - colaboramos com ele via MAL!

bem vindo e comentarei já o teu outro comentário.. abraço